sexta-feira, 6 de março de 2009

SOU EU NOS ANOS 70 RSRSRS

Quando jovem, tive oportunidade de gozar tudo de bom que a vida pode oferecer a uma garota de uma pequena cidade do interior. joguei futebol de campo(e era a melhor jogadora)joguei vôlei, fui rainha do milho,me vesti de bruxa em peça teatral, brinquei de carrinho de rolimã,joguei gude,feito moleque, soltei pipa, pulei corda, cantei roda, joguei peteca no meio da rua em noite enluarada, andei e cai de bicicleta, andei a cavalo, aprendi a dirigir sozinha, roubando o carro do meu irmão com as amigas, dirigi caminhão, tomei banho de chuva na praça de propósito,fiz piquenique na cacheira com a família toda e amigos, brinquei na enxurrada,aprendi a fumar os 13 anos,(só deixando aos 36 anos à pedido dos filhos ainda na adolescencia) ah coitada da minha mãe...já discursei em palanque político em época de eleição,em nome dos estudantes da minha cidade, fui suspensa da escola em época de colégio, porque tomei banho no banheiro da escola toda fardada,em dia de calor e fui assistir aula ensopada,eu com mais duas colegas,(rsrsrs,saudades de JuJú e Amarelim)que me acompanhavam nesta nefasta aventura, já abri o guarda-chuva em plena sala de aula,porque me sentava próximo a mesa do professor e quando ele falava cuspia tudo, já namorei no cinema na matinê do domingo assistindo filme de Mazaroppi, ah!Já vi as luzes do cinema se ascenderem depois do filme começado, só para meu irmão localizar onde eu estava sentada junto com meu primeiro namorado e procurar briga kkkkk Nesta época, ainda se respeitava os mais velhos, as pessoas ainda se cumprimentavam, mesmos sem se conhecer, ainda se pedia licença e se dizia obrigado. Violência? Era apenas uma palavra que existia no dicionário, pedofilia?Nunca havia ouvido falar essa palavra. Matar?era coisa “Lampião” Drogas? só Beatles usavam... lá nos Estados Unidos nos idos anos 70,homossexualidade,vixe Maria !...isso nem pensar! Depois o tempo foi passando e, me fiz mulher, casei,tive três filhos os quais amo demais. Como arco, vou soltando as minhas flechas, em direcção ao mundo, a primeira delas já se depreendeu de mim, meu filho mais novo, já casado, espera a sua própria flecha,para aponta-la à outros horizontes,enquanto os outros dois ainda se preparam. Hoje, tornei-me uma pessoa circunspecta, prefiro observar o que se passa ao meu redor. Entre falar e escrever prefiro a segunda opção, pois a primeira já não considero tão bem aceita, além de compreendida

Um comentário: